bettingpro

Home > DGArtes com 2,4 milhões de euros para orquestras regionais em 2024 e 2025
DGArtes com 2,4 milhões de euros para orquestras regionais em 2024 e 2025
Time:2023-06-27
Views:1337

bettingpro

  
LIVE      

DGArtes com 2,4 milhões de euros para orquestras regionais em 2024 e 2025

bettingpro

DGArtes com 2,4 milhões de euros para orquestras regionais em 2024 e 2025

A portaria publicada na segunda-feira em Diário da República ressalva que ao montante para 2025 pode ser acrescido o saldo restante do ano anterior.

A portaria foi assinada a 30 de novembro do ano passado pelo ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, e apenas no dia 5 de fevereiro pela secretária de Estado do Orçamento, Sofia Batalha.

No final de novembro, o Conselho de Ministros aprovou a alteração ao estatuto das orquestras regionais e a definição de “condições para a atribuição de incentivos pelo Estado”, através da Direção-Geral das Artes (DGArtes). O documento veio a ser promulgado pelo Presidente da República no final de dezembro.

“Este diploma define as regras aplicáveis aos concursos para atribuição do estatuto de orquestra regional, reforçando o reconhecimento do seu papel na divulgação da música erudita ao longo dos territórios e comunidades em que estão inseridas, enquanto agentes culturais e sociais, promovendo o desenvolvimento e qualificação a nível local e nacional”, pode ler-se na página da DGArtes.

O decreto-lei que alterou o estatuto prevê que “após um primeiro ciclo de apoios quadrienal entre 2018 e 2021 e da renovação sucessiva, pelo prazo de um ano, em 2022 e 2023, do estatuto de orquestra regional à Orquestra do Norte, na região Norte, à Orquestra Filarmonia das Beiras, na região Centro, e à Orquestra Clássica do Sul, na região do Algarve, [seja] necessário tornar o regime de atribuição do referido estatuto mais exigente e, por outro lado, garantir que os municípios da região em que as orquestras se inserem contribuem, de forma efetiva, para as atividades das orquestras”.

Desta maneira, o estatuto de orquestra regional passa a poder ser atribuído apenas “por concurso ou por concurso limitado, de forma a tornar a obtenção do estatuto de orquestra regional mais exigente; e é conferido pelo horizonte máximo de quatro anos”.

“Do mesmo modo, pretende-se possibilitar a abertura de concursos para esse efeito nas regiões onde ainda não existam entidades com o estatuto de orquestra regional, sendo avaliadas, de igual forma, as dimensões artísticas e a viabilidade do projeto, sendo exigível a apresentação de evidências no que se refere à sua sustentabilidade. Esta possibilidade abrangerá não só a região do Alentejo, como também as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, nos termos da autonomia político-administrativa”, acrescentava o Governo, no decreto-lei publicado em janeiro.

Novo festival de música em Guimarães em abril com Bispo, Ivandro e Kura

O primeiro Moving Fest está marcado para os dias 26 e 27 de abril no Multiusos de Guimarães, e apresenta um cartaz “recheado de talentos nacionais”, que inclui Bispo, Ivandro, Kura, Karetus, Sippinpurp, Rich & Mendes, Zanova e Van Zee, refere a organização num comunicado hoje divulgado.

O Moving Fest é apresentado um “novo e ambicioso” festival de música itinerante, que “irá viajar por várias localidades, com o objetivo de mover a energia da música jovem entre diferentes comunidades”. As outras localidades que receberão o Moving Fest serão anunciadas “em breve”.

Em cada edição, o festival será dedicado a diferentes géneros musicais, começando em Guimarães com Música Urbana/Hip Hop e sonoridades Eletrónicas.

A organização refere que, “com a flexibilidade de ser realizado tanto no verão quanto no inverno, em espaços ‘indoor’ e ‘outdoor’, este festival promete levar cultura e entretenimento a cidades de menor dimensão, oferecendo uma programação variada e acessível”.

Além da música, a organização do Moving Fest dá também destaque à sustentabilidade, incentivando a reutilização, ao permitir que os detentores de bilhetes levem consigo copos utilizados noutros eventos, “desde que atendam às medidas mínimas de higiene estabelecidas pela produção”.

“Com o objetivo de minimizar o desperdício, o Moving Fest utilizará materiais de decoração entre eventos, criando uma identidade única e duradoura ao longo das edições futuras”, lê-se no comunicado.

Os bilhetes para o primeiro Moving Fest estão à venda a partir de hoje. Os preços dos bilhetes - diários e passes de dois dias - variam entre os 20 e os 70 euros.

+Escolha sua comunicação de notícias favorita. Clique aqui!

DGArtes com 2,4 milhões de euros para orquestras regionais em 2024 e 2025

Previous:Vanessa Lopes tem boa evolução, segundo boletim divulgado em seu perfil nas redes sociais
Next:Carlos Tê e João Monge são primeiros de série de livros dedicada a escritores de canções
related articles
bettingpro Mapa do site

1234